ENLUARADOS

sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Ditos bem ditos de Helena




Helena era minha mãe, e gostava muito de usar os ditados populares que ouvira ao longo de sua vida. Tomei nota de alguns e quando vou me lembrando de outros, vou acrescentando à lista. Muitos deles eu nunca ouvi por outras pessoas.

- As ausências são atrevidas.
- A dor ensina a gemer.
- A gente pensa que atalha, arrodeia.
- Atrás dos apedrejados correm as pedras.
- A voz do povo é a voz de Deus.
- Boa romaria faz, quem em sua casa está em paz.
- Cabeça vazia, tenda de satanás.
- Cada qual com o seu quinhão.
- Casa tua filha com o filho do teu vizinho.
- Cerca ruim é que ensina o boi a roubar.
- Costume de casa vai à praça.
- Desengano da vista é furar os ’óios’.
- É dando que se recebe.
- Em terra de cego, quem tem um olho é rei.
- Em terra de sapo, de cócoras com ele.
- Farinha pouca, meu pirão primeiro.
- Festas acabadas, músicos a pé.
- Foge desse, minha filha!...
- Foge dos maus e dos tolos.
- Língua falou, fiofó pagou.
- Macaco, olha o teu rabo!
- Mais vale o pouco continuado do que o muito de uma vez só.
- Mais vale um gosto do que dois vinténs.
- Morre o cavalo ao bem do urubu.
- Mulher doente, mulher para sempre.
- O bom julgador por si julga os outros.
- O medo é do tamanho que a gente faz.
- O prevenido manga do tempo.
- O que é de gosto regala o peito.
- Pega o pão, esmorecida!...
- Pelo santo se beija as pedras.
- Pensa que babado é bico?
- Pobre, quando vê muita esmola, desconfia.
- Quem ama o feio, bonito lhe parece.
- Quem com porcos anda, farelo come.
- Quem dá aos pobres, empresta a Deus.
- Quem dá o que tem, a pedir vem.
- Quem gosta de canto é garrafa de gás.
- Quem diz o que quer, ouve o que não quer.
- Quem mais tem, mais lhe dão.
- Quem muito se abaixa, os fundilhos aparece.
- Quem não sabe rezar, xinga a Deus.
- Quem não se enfeita, por si se enjeita.
- Quem nos cantos anda, nos cantos se acaba.
- Quem sai aos seus, não degenera.
- Quem tem padrinho, não morre pagão.
- Quem tem vergonha não envergonha ninguém.
- Quer entrar no céu a pulso.
- Sapatinho que eu calcei, no monturo já deixei.
- Só se beija a quem se deseja.
- Tá pensando que o céu é perto.
- Uns choram porque apanham, outros com vontade de apanhar.

2 comentários:

Luciana disse...

Separei os que sempre escuto da minha Helena, a Maria Helena:
- Atrás dos apedrejados correm as pedras.
- A voz do povo é a voz de Deus.
- Boa romaria faz, quem em sua casa está em paz.
- Casa tua filha com o filho do teu vizinho.
- Costume de casa vai à praça.
- Desengano da vista é furar os ’óios’.
- É dando que se recebe.
- Em terra de cego, quem tem um olho é rei.
- Foge desse, minha filha!...
- Mais vale um gosto do que dois mil réis.
- O medo é do tamanho que a gente faz.
- O prevenido manga do tempo.
- O que é de gosto regala o peito.
- Quem ama o feio, bonito lhe parece.
- Quem dá o que tem, a pedir vem.
- Quem diz o que quer, ouve o que não quer.
- Quem muito se abaixa, os fundilhos aparece.
- Quem não se enfeita, por si se enjeita.
- Quem sai aos seus, não degenera.
- Tá pensando que o céu é perto.

ArnalDuda Siqueira disse...

Consigo lembrar de alguns desses ditos.

Fico sentido de não ter tido tempo suficiente pra escutar todos.

Saudades da Vovó.

Beijão, tia.